Textos


O POETA DOS SONHOS – CAFÉ E POESIA – Luiz Becker
 
Neste momento o Re_Comendo_Livros chega para um Café e Poesia, com Luiz Becker “O Poeta dos Sonhos”.
Neste recente lançamento o poeta Luiz Becker de São Pedro do Turvo, SP, nos brinda com poemas diversos onde segundo a sua prefaciadora, Kátia Maria Jardim Rorato; Professora, Pedagoga, Coordenadora de núcleo superior e de Projetos, (...) “Luiz Henrique Becker, visa colocar os seus poemas de forma livre numa dimensão harmoniosa com a modernidade, verossímil aos novos conceitos em suas reflexões, abordando conceitos poéticos, filosóficos, sócios e educativos, numa perspectiva avançada em suas idéias inovadoras e conceituais da realidade circundante em que estamos inseridos”.
Sim, de fato Luiz Becker vai bem longe no que tange a modernidade, visto que desmascara a figura dos poetas afastados da realidade cotidiana de seus pares...
Numa linguagem clara se manifesta, e grita a plenos pulmões odes de amor á vida, aos outros, á si mesmo, sem rodeios e sem usar do subterfúgio de vocábulos complicados ou afastados das correntes lingüísticas de seu entorno e de seu tempo.
Luiz Becker também se afasta da idéia de que poetas são irrecuperáveis sonhadores, tendo em vista que sua poesia transmite um realismo surpreendente!
Mas, mesmo assim, Luiz Becker tem, e sustenta a alcunha de “O Poeta dos sonhos”!
Que sonhos seriam estes, que dão base de sustentação a este escritor do interior de São Paulo?
Pela leitura deste tomo, em edição do autor, em primeira edição de 2015, alguns indícios se dão á mostra para a elucidação desta questão apresentada por mim, a saber:
Luiz Becker se mostra em paz e em harmonia com a vida, diferente de muitos e tantos poetas de nossa literatura, que se mostram amargurados e envolvidos em amores distantes e impossíveis de serem realizados; Luiz Becker aponta disputas de interesses, pessoais e sociais, mas não o rancor e a angustia que delas se projetam, porque encara a vida como um dom e uma dádiva, assinalando possíveis saídas para conflitos...  E a despeito de tudo o que lhe ocorra crê que as forças dos homens principalmente voltadas ao mal, são ínfimas quando comparadas ás forças Do Construtor do Universo e de Todas as Coisas...
Talvez ser  “O Poeta dos Sonhos”, ou possuir atributos e competências que sustentem esta alcunha, seja este despojamento da arrogância tão humana, este desnudar-se ás forças da natureza, este olhar fixo e penetrante nos olhos das outras pessoas e sobretudo ter uma fala firme,mas mansa, calma, que abraça fraternalmente aos seus interlocutores.
Talvez o sonho seja este, ser harmonioso e pacifico, sem ser dependente e subjugado...
Características estas, que percebo claras na leitura deste livro, e evidentes no trato pessoal com o escriba...
Assim, a leitura deste “O Poeta dos Sonhos Café e Poesia” de Luiz Henrique Becker, é um encantar-se, um desnudar-se, um reencontrar-se consigo mesmo e com a natureza mais pura do ser humano.
Mas, afastando-me um tanto de falar sobre o homem, ou sobre o poeta Luiz Becker, sem deixar noentanto de focalizá-lo neste registro literário do Re_Comendo_Livros de hoje, encaro pertinentes os últimos versos de seu poema “Paginas do tempo”, para o que estamos passando neste 2020 tão árduo, enquanto desejo de superação:
(...) “Quero ver o sorriso de novo
          Sentir o calor do povo
          E poder sair pela rua e gritar
          A liberdade de fato chegou.”
 
Por fim, e ao cabo destas linhas, desta pequena apresentação, faço realçar as ótimas impressões deixadas pela pessoa de Luiz Becker em mim, e pelo ecoar da leitura de seu “O Poeta dos sonhos – Café e Poesia”, reiterando o convite para que leiam este livro, para que conheçam este autor...
Através do recorte de seu poema “A Cabana dos sonhos” que diz:
(...) “Relembrando de você
        Pensando no brilho da lua
        Que você magicamente
         Deixou em mim.”
Digo a todos da alegria em “tomar” este café e poesia, do ”Poeta dos sonhos”, Luiz Becker e escrever sobre ele e o seu livro, posto que ambos, autor e livro, a seu modo, mostraram-me o melhor do ser humano, e no quanto ele pode amadurecer, e se agigantar!
Porque ninguém vai a lugar algum sozinho, e se somos ou fazemos parte de páginas de tempo, cumpre que não sejamos páginas em branco, que sem presente consistente ou passado palpável, não poderemos almejar por futuro em algum lugar da memória material ou imaterial daqueles que vierem após a nós...

Edvaldo Rosa
www.sacpaixao.net
04/10/2020
 
 
 
 
Edvaldo Rosa
Enviado por Edvaldo Rosa em 04/10/2020


Comentários


Imagem de cabeçalho: Shandi-lee/flickr