Textos

PRESENÇA...
Mãe!
É cedo ainda...
E se meus olhos não te alcançam,
É porque tu te confundes tanto,
Com o sol que brilha,
Que se ele ao se mostrar não te esconde, também não te mostra,
Embora use sem reservas do teu brilho nas chamas que exala...
Depois, ao cair da tarde, quando a cor do dia tiver esmaecido,
Teus olhos, - olhos da noite,
Hão de tocar, ultrapassando as minhas retinas,
Tão tua, desnuda, a minha alma inteira!
E verás Mãe minha, Mãe querida que embora a chama de tua vida,
Aqui já não arda,
E que não tenho os teus braços como morada,
Não és apenas simples saudades...  -Águas passadas...
És presença que o espaço tempo não delimita,
Amor livre de quaisquer amarras...
Vida! Vida na mais pura acepção da palavra!
-Não esta vida nossa de cada dia que aos poucos se desgasta...
Nem esta morte nossa de cada instante...
Que nem as nossas ilusões mais fantásticas,
Nem nossas saudades mais profundas,
Nem as nossas mais copiosas lágrimas...
Male má mascara!


Edvaldo Rosa
www.sacpaixao.net
06/05/2016



Edvaldo Rosa
Enviado por Edvaldo Rosa em 20/06/2016


Comentários


Imagem de cabeçalho: Shandi-lee/flickr