Textos

CARTA DE AMOR...
É em momentos como este, que estamos vivendo, que precisamos encontrar pontos de apoio, pontes que liguem extremos, pois tudo o que cremos, que queremos parece desmoronar.
Talvez, se romperam os nossos sonhos, diante de uma realidade em que custamos em acreditar!
Assim, a vida se mostra como ela é, e não como queríamos que fosse.
E temos que continuar em nossa caminhada e aceitar que os outros continuem a caminhada deles, da forma que bem queiram, afinal se os passos do homem perfazem o seu caminho, o caminho também faz o homem... A pergunta quem sabe não deveria ser: Quem somos e o que queremos afinal?
Se não podemos forçar aos outros que sejam o que somos, esquecidos também, que talvez já agimos igual, não podemos forçá-los a pensar e a agir como nós!
Mas, podemos aceitá-los, ajudando-os como pudermos, amando-os como os amamos, ou mais...
Mas, os outros, bem que deveriam ter por nós a mesma consideração!
Meu amor é fato, que já vivemos bem mais que eles, sofrendo e chorando bem mais... Só que em nossa  vontade para que não chorem, nem sofram, o que nós já sabemos por experiência, que não vale a pena, apenas sofremos nós, sofremos mais...
Se diante de nosso olhar não passam de crianças, tateando o caminho sob a escuridão de sua própria inexperiência, necessário se faz mudar o foco da visão, pois, o caminho terá que ser percorrido, sob o fluxo de copiosas lágrimas e dor, ou com sorrisos largos na face.
E mesmo que nem sejam assim tão jovens, são inexperientes, e não veem, nem notam, que a vida não se pode fazer mediante a dor e tristeza, o constrangimento que eles impõe aos outros, e a nós, como seus pais, que mesmo imperfeitos, tanto os amamos.
Orientar e conduzir, também tem limites, pois sempre chegará a hora em que cada filho terá que seguir por si só.
Caindo e levantando, acertando e errando, sós, como nós... Como todo mundo!
Fomos nós que sonhamos maravilhas, e que em desespero vemos agora caírem por terra estes nossos sonhos... Note bem; nossos sonhos, não destes que nos faz sofrer!
Assim, repetindo o que disse-lhe antes, temos que encontrar pontos de apoio, construir pontes, para que não sucumbamos à dor, ao desanimo...
Sem falar que a vida é uma caixa de surpresas; posto que quando pensamos que vai ser de uma forma, teima em ser de outra bem diferente...
Mas, nós somos seres em que o tempo futuro ainda dorme dentro do nosso agora, o que faremos se o agora que nos abraça desespera e desestabiliza... Senão, aprumar o passo, e caminhar?
E meu amor, creia, sinta, que o meu ponto de apoio é você!
E que a ponte que me leva de um ponto de extremo sofrimento a um de bonança, sempre foi você!
-Não consigo conceber a vida sem acreditar nas pessoas... E eu creio em você!
Não se deixe levar pelas mágoas, lute com fibra, estou com você!
Torna a teus olhos, o brilho de nossos melhores momentos.
Talvez, o nosso melhor momento seja o de agora, em que livres dos sonhos que jazem ao rés do chão desfeitos, sonhos que sonhamos para outros, possamos viver para nós mesmos, por nós mesmos!
Neste momento sabemos bem quem somos nós, o que nos limita, e o que queremos...
Ou, me engano ainda? - Não sabemos?
Meu amor aproveitemos que vemos os outros como são, para enxergarmos de vez o que somos!
E sejamos enfim um para o outro!
Diante da paz de espirito instalada em nós, fortalecida por sabermos que não estamos abandonando nada, mas sim focando nossos sentimentos também, possamos  ser enfim um melhor exemplo, um norte, para os nossos filhos talvez seguirem enfim...
Quanto a mim, pouco importa onde eu vá ou com quem esteja, o que fale, ou ouça, pois o mais importante é que eu tenho para onde voltar, para quem voltar!
Sem você, qualquer lugar seria um qualquer lugar, bom lugar talvez, mas tendo você em meu coração, o melhor lugar é onde você está!
Quanto a você, o importante é o que você sente, é o que você pensa, o que quer para si!
E só você pode saber o que deseja!
Aproveita que tudo está desabando e deixa desabar.
Que desabem junto também os teus medos, inseguranças, em relação a tudo, aos outros, a mim...
Levanta a face ora para o sol, ora para a lua, olha a sua volta, sinta que estou a teu lado, que desejo ser seu porto seguro, seu ponto de apoio, ser uma ponte entre tuas tristezas e teus sorrisos; por amor e com carinho!
Assim penso que nossos passos juntos, ficaram mais fáceis, mesmo que se desintegre o mundo a nossa volta e sob nós se instale um torvelinho desejoso de nos tragar.
Se o que te falo é outro sonho eu não sei...
Sei que te amo!
Eu sinto que te quero e a mais ninguém!
Eu, sinto que você me ama, e que me queres também.
E penso que somente juntos deveríamos terminar o que começamos sorrindo, esperançosos, apaixonados, a uns bons 15 anos atrás, quando você me disse: - Eu te amo!
E eu acreditei!
E por acreditar ainda agora, busco por todas as minhas forças merecer ser amado ainda, e te amo mais.
Desejo que estas linhas que lhe escrevo, seja uma chama viva a conduzir-te entre teus medos e inseguranças... Pois só o teu olhar meigo, seu sorriso lindo, seus abertos braços, sempre foram a luz de farol a me guiar nas tormentas.
Fica bem, fica em paz, pois o meu amor por ti não teme tempestades, abismos, adversidades!
Eu só temo ficar só!
Pois, o meu amor por você, só em você se completa, completude temperada com desejo e paz!
Sinta que a paz em nosso amar se faz por dar vazão à torrente de desejos que correm dentro de nós... Por fazer com que nossas almas se enxerguem uma na outra!
Penso que se assim não fosse,estaríamos errando o amor que professamos tanto tempo um pelo outro, e seriamos tão inexperientes e estaríamos tateando nos caminhos da vida como os outros que tanto nos ferem enquanto abrem feridas, ensangues, profundas, mortais, no próprio corpo e nas suas próprias almas...
Eu, por meu turno, creio, creia-me, seja por sentimentos, pensamentos e atos, te amo por demais.
Restá a nos espanejar o pó de nossos sonhos desmoronados, e vermos que estamos por fim inteiros, e estarmos dispostos um ao outro, por mais que sejamos distintos e que nossos destinos pareçam tão desbaratados...
Nós, meu amor, somos primeiramente de nós mesmos, para após decidirmos que somos um do outro e de ninguém mais!


Edvaldo Rosa
www.sacpaixao.net
13/11/2013



Edvaldo Rosa
Enviado por Edvaldo Rosa em 26/01/2015


Comentários


Imagem de cabeçalho: Shandi-lee/flickr