Textos


CANTIGA PARA MEU AMOR...

Ver-te assim, oh! alma minha,
toda prantos toda ensangue...
Sem que eu possa dar-te, embora tente, alguma alegria,
É estar acorrentado, e sob o peso da corrente,
sentir que a minha vida também definha!
Como queria dar-te um pouco de paz...
Como me destes um dia, lembra?
Como queria que a força de meus braços,
te erguesse de tão profunda melancolia...
Mas, a mim, não foi dada tal dádiva!
E embora ver-te assim tão derrotada,
por mais que mata em mim, as forças minhas,
sei, e nisto rogo-lhe que creias,
Ela foi dada á vida.
E ela ainda pulsa em tuas veias,
como pulsa nas minhas...
Posso dar-te um olhar,
minhas mãos para conter as tuas,
meus abraços para enlaçar-te inteira,
para ajudar-te a esperar que esta dor aguda passe...
Estar aqui ao teu lado, nestas horas tão negras,
é o pouco, e o muito que posso oferecer-te...
Rogando a Deus que lhe baste...
Como fizestes comigo um dia, lembra?

Edvaldo Rosa
www.sacpaixao.net   
05/06/2012
Edvaldo Rosa
Enviado por Edvaldo Rosa em 05/06/2012
Alterado em 05/06/2012


Comentários


Imagem de cabeçalho: Shandi-lee/flickr