Textos

Série Acrósticos / Meu Idolo 1 / Castro Alves / Maratona
Série Acrósticos:  Meu Idolo / Maratona



C astro, quando molhavas a pena no tinteiro,
A s suas veias tú cortavas,
S into isso, cada vez que o leio!
T eu sangue então vertendo,
R iscava na folha branca e pura,
O des de amor e desespero!

A té onde tú olhavas,
L ivre olhar sobre o mundo inteiro,
V ias amores e desencantos
E m que mergulhavas por inteiro!
S ecéu, a tua poética então evocavas!

C om quanta beleza, não cantaste o amor,
A inda mais por ele sofrendo,
S abendo que não sendo eterno,
T erno, mesmo assim, sempre sendo!
R uidosa foi a tua palavra,
O nde ouvidos moucos, pouco escutavam!

A traz do sibilo do chicote,
L ivre a sua voz se exaltava,
V oz forte contra a má sorte
E m que haviam sido mergulhados, os nossos irmãos negros!
S eu canto, desafiando o tempo,abraça-me hoje, o coração por inteiro!

São Paulo 14/03/2006

“Eu estou correndo a maratona de ACRÓSTICOS”


Edvaldo Rosa
Enviado por Edvaldo Rosa em 14/03/2006
Alterado em 14/03/2006


Comentários


Imagem de cabeçalho: Shandi-lee/flickr