Textos


A liberdade do amor...

 

O coração padece...

Náufrago a se apegar ás tábuas sobre um mar revolto...

Quão doce, quão amargo sentimento, amar!

Amar...

Vai á fundo n'alma...

Cala profundo no peito!

Seca as palavras nos lábios,

faz trêmular nossos nervos...

Faz nossos sonhos voar...

Voar!

Desfaz...

Decompõe nossa realidade!

E os dias e as horas, parecem poucos

para tanto amor que transborda de nosso peito,

que acalora, abrasa, nossa alma...

Afoita!

Transforma os sãos

nuns loucos...

E essa loucura,

cura nossas feridas,

abre outras portas á nossa vida,

fazem de nós, antes sós

aves de arribação!

A liberdade do amor é tão plena,

não há correntes nem cárceres que nos contenha...

Nem a morte tem forças para impedir

ao amor a sua consumação...



Edvaldo Rosa

WWW.SACPAIXAO.NET

05/07/2008

Edvaldo Rosa
Enviado por Edvaldo Rosa em 05/07/2008


Comentários


Imagem de cabeçalho: Shandi-lee/flickr