Textos

HORAS A JANELA...
HORAS A JANELA...

Têm horas a janela,
Que olho para fora e nada vejo,
Pois estão pregados os meus olhos,dentro,
bem dentro de meu peito,
sem forças para se libertarem,
dos meus conflituosos sentimentos...
Sem forças para se libertarem,
Meus olhos, por mais que eu pense ou relembre,
Estão presos em esmaecidos lapsos...
Diante da janela, que se embaça sob meu hálito,
E as marcas de meus dedos,
Mais esqueço do que relembro!
Mas na nesga de luz que irrompe das nuvens,
E o som do vento no vidro fechado,
Uma imagem de ti se apresenta a meu lado,
E o som de tua voz toca os meus ouvidos...
Mas, o tempo está parado,
E aqui diante da janela de nosso quarto,
Sinto você por um instante!
Que no abrir dos olhos já é passado...
Tudo isto, este quase nada, não é o bastante!
Mas, é o que tenho para o agora!
- Dentre aqueles momentos que esqueço,
Pela dor de tê-los jogado fora,
E estes, diante da janela, que sorvo enlouquecendo,
Quase me engasgando a cada bocado,
Sentir-te de novo é o que eu mais desejo...
Sinto saudades de ser por ti amado!

Edvaldo Rosa
28/03/2016
www.sacpaixao.net
Edvaldo Rosa
Enviado por Edvaldo Rosa em 23/06/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, desde que seja dado crédito ao autor original (Edvaldo Rosa www.sacpaixao.net) e as obras derivadas sejam compartilhadas pela mesma licença. Você não pode fazer uso comercial desta obra.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Shandi-lee/flickr