Textos


Um descontraido bate papo sobre um tema sempre abordado... O Conflito Entre Gerações...

Email enviado por André Carim para o Sac_Paixao_Poesias 



CONFLITO DE GERAÇÕES
Walkyria & Marcial


- Marcial, sabe qual é o sentimento mágico para acabar com o conflito de gerações? Chama-se PERDÃO.

- Sim, e para não se abusar da necessidade do perdão, é preciso que, desde pequeno, a criança receba a orientação adequada, é preciso que haja muito diálogo, e, principalmente, que ela saiba que terá em seus pais sempre a palavra amiga, seja corrigindo erros, seja aplaudindo acertos.

- Quando nascemos somos apresentados ao mundo por uma supermulher, nossa mãe, que não apenas nos alimenta, agasalha, mas deu-nos o principal: a própria Vida. Super mulher apenas? Não, claro que não...uma verdadeira deusa!

- Sim menina, uma Deusa muito humana, também passível de erros. A figura materna deve passar sempre a idéia de proteção, desvelo e carinho. Mas não deverá dar idéia daquela Deusa perfeita, e não passível de erros, mas sim de uma figura humana que fará de um tudo para proteger seus filhos, para orientá-los e direcioná-los para o lado bom do caminho.

- E o pai Marcial, a figura que se apresenta como o protetor imbatível. Um super homem, aquele que nos protege, nutre, vigia, ensina e está sempre pronto para nos mostrar o certo e castigar o errado.

- Igualmente uma figura humana, também sujeito a erros e acertos. O pai não deve ser aquela figura do herói que tudo resolve. O grão mestre infalível. Quando errar, deve ter a humildade para reconhecer. O pior que pode acontecer, é após um castigo indevido, o super homem permanecer inflexível, para não macular a autoridade paterna, ao invés de humildemente reconhecer que errou. E quando o filho fizer alguma pergunta que o pai não saiba responder, vamos fazer a pesquisa juntos. Vamos ensinar o filho a pesquisar. Mostrar como deve fazer para dirimir as duvidas.Ensiná -lo a pescar, ao invés de fazer tudo por ele, para que tenha boas notas...

- É...os anos passam, e com ele chega a nossa independência. Já podemos caminhar sozinhos e a imagem dos pais se altera em nossa visão. Começamos e ver defeitos onde somente havia perfeição. Ficamos pasmos! Com que então eles erram? E o pior, erram conosco? Que lastimável engodo!

- E para evitar essa imagem aparecer apenas quando saímos do colinho, é que deve haver sempre sinceridade e muita honestidade no difícil relacionamento pais e filhos. E isso, desde cedo.

- Mas um dia nos tornamos adultos não é verdade menino? E nessa hora percebemos e aceitamos o fato de que nossos pais não são super heróis. São humanos, como nós. Com seus erros e acertos. E ao aceitarmos as limitações humanas de nossos pais, estamos prontos para superar os conflitos de geração, pois nos tornamos humildes o suficiente para aceitar e perdoar, não apenas a eles, como a nós mesmos.

- O ideal seria que tal conscientizaçã o não necessariamente chegasse apenas ao atingirmos a fase adulta, mas sim desde logo, através de muito diálogo, e diálogo mantido com muita sinceridade e abertura total. Deve-se falar sobre todos os assuntos, mesmo os mais delicados, sempre que as crianças mostrarem curiosidade em saber. Seja sobre arte culinária, seja sobre sexo, drogas ou futebol. E os pais SEMPRE devem ter tempo para esse diálogo. Evita muitos problemas futuros.

- Está certo Marcial. Bem, como tempo é maya, sempre é tempo. Então, eu me perdôo!
Eu Sou Walkyria, simplesmente

- E já me perdoei faz algum tempo...
Eu Sou Marcial 

Queridos amigos e leitores do WWW.SACPAIXAO.NET
alguêm gostaria de acrescentar mais algum comentário a respeito do tema deste bate-papo?
É só mandar por email pois estarei esperando.

Deixo aqui o endereço:
edvaldo_rosa@yahoo.com.br

Um abraço

Edvaldo Rosa

Edvaldo Rosa
Enviado por Edvaldo Rosa em 14/02/2007
Alterado em 14/02/2007
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Edvaldo Rosa www.sacpaixao.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Shandi-lee/flickr