Textos


Aquele abraço! 

Para e por Pedro Rosa meu pai!

Súbito me vem á lembrança um abraço,
a alegria permeando nossos corpos,
como um perfume evolando no ar,
um gosto bom nos nossos lábios!
Súbito a saudade não é triste,
nem um ato solitário,
nem um desejo de algo que nem volta mais,
estamos novamente juntos...
Instante eterno, terno momento,
em que teus braços velhos,
me cerca com tanta ternura!
Já não sendo teu rebento de outras datas,
sou teu filho nesta hora,
que faz na vida sua própria história,
que vislumbras e aplaude,
enquanto teu olhar por ela prespassa!
Resta-me o abraço,
e na memória de meu corpo ainda tão fresca,
a sensação do teu corpo quente ante o meu,
o pulsar de teu peito,
no meu peito...
E nossas almas numa alegria inconfessa,
sei que faziam festa, naquele instante do abraço,
e sei que até ainda agora
em que a sensação do abraço se manifesta!

Edvaldo Rosa
20/10/2006

www.sacpaixao.net 
www.mensagensvirtuais.com.br/eu.php?id=106220
http://www.corujando.com.br/arquivo/ciranda_dos_pais_p2.htm#poeta_favorito

Edvaldo Rosa
Enviado por Edvaldo Rosa em 20/10/2006
Alterado em 22/05/2012
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Edvaldo Rosa www.sacpaixao.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Shandi-lee/flickr