Textos

Série Acrósticos / Meu Idolo 1 / Castro Alves / Maratona
Série Acrósticos:  Meu Idolo / Maratona



C astro, quando molhavas a pena no tinteiro,
A s suas veias tú cortavas,
S into isso, cada vez que o leio!
T eu sangue então vertendo,
R iscava na folha branca e pura,
O des de amor e desespero!

A té onde tú olhavas,
L ivre olhar sobre o mundo inteiro,
V ias amores e desencantos
E m que mergulhavas por inteiro!
S ecéu, a tua poética então evocavas!

C om quanta beleza, não cantaste o amor,
A inda mais por ele sofrendo,
S abendo que não sendo eterno,
T erno, mesmo assim, sempre sendo!
R uidosa foi a tua palavra,
O nde ouvidos moucos, pouco escutavam!

A traz do sibilo do chicote,
L ivre a sua voz se exaltava,
V oz forte contra a má sorte
E m que haviam sido mergulhados, os nossos irmãos negros!
S eu canto, desafiando o tempo,abraça-me hoje, o coração por inteiro!

São Paulo 14/03/2006

“Eu estou correndo a maratona de ACRÓSTICOS”


Edvaldo Rosa
Enviado por Edvaldo Rosa em 14/03/2006
Alterado em 14/03/2006
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Edvaldo Rosa www.sacpaixao.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Shandi-lee/flickr